O processo de venda de casas nas várias centralidades do país retoma este mês (Novembro), anunciou hoje a ministra do Ordenamento do Território e Habitação, Paula de Carvalho.

Na província do Cuanza Sul serão comercializadas este mês (Novembro) as primeiras casas da centralidade Quibuala, enquanto para as províncias de Luanda e Benguela as vendas recomeçam em Dezembro.

“O arranque das vendas das residências é um processo que continua. Teremos para breve vendas na província do Cuanza Sul e no mês de Dezembro teremos Benguela e Luanda”, afirmou Paula de Carvalho.

Em Luanda estão previstas vendas de novas habitações nas centralidades do Zango 0 (Vida Pacífica, com dois mil e 464 fogos habitacionais de tipologia T3 e T4 e do Zango 8.000, com oito mil fogos habitacionais.

As últimas vendas de casas em Luanda foram feitas em Outubro de 2018, nas centralidades do Zango 8.000, que disponibilizou mil e 839 moradias para os funcionários públicos, 788 a trabalhadores de empresas públicas e privadas.

A governante disse que continua a ser revista a política de preços das centralidades já habitadas, lembrando que o valor pago agora pelos moradores conta com a subvenção do Estado.

“ O estudo está praticamente concluído e a qualquer momento iremos dar a conhecer, no sentido de vermos a mensalidade mais baixa, porque vamos também estender o tempo de compra”, sublinhou.

A redução do preço e prorrogação do tempo vai abranger apenas os proprietários que adquirem as residências pela via da renda resolúvel e não para os casos de arrendamento.

A conclusão a tempo das infra-estruturas externas, como estradas, estações de tratamento de águas residuais e outras acções têm inviabilizado a entrega das residências à população.

Ler também: Executivo cria unidade para monitorar projectos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.