Numa declaração surpreendente no programa Roda Viva da TV Cultura da noite desta Segunda-feira, Michel Temer qualificou a derrubada de Dilma Roussef em 2016 de golpe e chamou Lula de presidente.

Disse que pretendia actuar com Lula para evitar o golpe, mas a proibição de Gilmar Mendes para que ele assumisse a Casa Civil inviabilizou a articulação. A admissão de Temer enterra de vez o discurso das elites de que teria havido um processo regular de impeachment contra Dilma.

Numa declaração surpreendente no programa Roda Viva da TV Cultura da noite desta Segunda-feira, Michel Temer qualificou a derrubada de Dilma Roussef em 2016 de golpe e chamou Lula de presidente. Disse que pretendia actuar com Lula para evitar o golpe, mas a proibição de Gilmar Mendes para que ele assumisse a Casa Civil inviabilizou a articulação. A admissão de Temer enterra de vez o discurso das elites de que teria havido um processo regular de impeachment contra Dilma.

“Eu jamais apoiei ou fiz empenho pelo golpe”

disse o emedebista, que assumiu a presidência após a queda de Dilma em 2016. Em sua explanação, Temer não se preocupou em usar o termo “golpe”, algo que nunca tinha feito, e ainda revelou que tentou impedir o avanço do processo do impeachment após um telefonema do ex-presidente Lula.

Assista.

ler também: Exploração desenfreada de madeira prejudica produção de mel no Moxico

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.