Uma série de consequências está a avançar a todo o vapor devido à proibição implementada pela Administração Trump contra a gigante chinesa das telecomunicações Huawei, alertam analistas.

Após a proibição pelo presidente dos EUA, Donald Trump, do uso de equipamentos de telecomunicações fabricados por empresas consideradas “uma ameaça à segurança nacional”, um relatório indica que o Google, que já vetou o Android para a Huawei, alertou o governo que a proibição desta empresa chinesa efectivamente coloca a segurança do país em perigo, pois, a obriga a desenvolver seu próprio software que poderia ser mais susceptível a invasões.

Na opinião do colunista John Detrixhe da Quartz, a proibição por parte do Facebook da pré-instalação de seus aplicativos, incluindo o WhatsApp e o Instagram, em telemóveis Huawei, resultaria em prejuízo, pois, isso privaria as empresas americanas de usar os dispositivos chineses para colectar dados e vender publicidade em todo o mundo.

Além disso, Detrixhe destaca que essa medida americana se traduziria em perdas para os fabricantes de semicondutores dos EUA devido ao veto contra a segunda maior empresa a nível mundial no mercado móvel, uma vez que essa proibição afectaria o fornecimento de hardware para a Huawei, forçando-a armazenar chips e outros componentes e a aumentar o desenvolvimento de alternativas.

Para o analista Jeremy Horwitz, do site Venture Beat, as empresas americanas não só perderiam receita da gigante chinesa, mas também de outras empresas estrangeiras.

O jornalista explica que, se a Huawei vier a produzir os componentes de que precisa por conta própria, a empresa poderia vendê-los a terceiros a preços mais acessíveis em comparação com as empresas americanas.

Uma ampla gama de empresas sofreria globalmente com o precedente da Huawei, incluindo a Apple, que depende de empresas chinesas como a FoxConn para fabricar seus dispositivos.

Como exemplo, o especialista Talha bin Hamid refere que, se a empresa chinesa deixar de fabricar componentes para o iPhone, mudar a produção para qualquer outro local do planeta resultaria em custos mais elevados para a Apple.

A retaliação à gigante chinesa também abrandaria a implementação da nova tecnologia 5G em todo o mundo, o que poderia se reflectir na suspensão do desenvolvimento de veículos de condução automática, que dependem da implementação dessa tecnologia, na qual a Huawei está actualmente na vanguarda, de acordo com os analistas.

Horwitz acredita que Washington “ataca empresas individuais para forçar resultados políticos”, afirmando que a situação em torno de Huawei se tornará uma “enorme mina terrestre” para a diplomacia norte-americana.

Leia também: Gmail. Emails estão a ser lidos por terceiros, confirma a Google

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui