Com o desajuste financeiro na indústria cultural, provocado pela pandemia do Covid-19, os rendimentos autorais seriam uma boa alternativa para a maioria dos artistas angolanos, muitos dos quais não conseguem manter a carreira, e outros viram-se forçados a interromper gravações por falta de dinheiro.

Se por um lado, o vírus da SARS COV-2 afundou a carreira de vários artistas e adiou o sonho de muitos talentos emergentes na música nacional, por outro, foi em 2020 que a indústria musical teve um dos maiores crescimentos de sempre (7,4%, USD 23,1 bilhões) em relação a 2019.

Estes rendimentos provieram sobretudo da digitalização do consumo de música. E, como sabemos, pelos serviços de streamings, é possível rentabilizar cada detalhe dos intervenientes da produção de uma canção, que, conforme a nossa realidade, 50% passa para o beatmaker, enquanto ao intérprete cabe apenas 20%.

Mas Angola quase ou não entra para a estatística global, porque a maioria das produtoras conceituadas no país não aceita pagar direitos autorais, o que acaba por dificultar o futuro dos seus associados, Sadia.

Também: Tchizé dos Santos com contas desbloqueadas

Segundo o director-geral da Sadia, os proprietários das produtoras rejeitam pagar direitos de autor, e afirmam categoricamente que “não podem pagar”. Sem citar nomes, Lucioval Gama revela que o estranho é que são das mais conceituadas produtoras. “As editoras angolanas que os artistas estão associados é que dificultam a vida deles mesmos. Elas dizem que não podem pagar”, lamentou.

Em casos como estes, nem sempre a via negocial tem sido viável, por isso a entidade de gestão colectiva pondera outras medidas, de modo a proteger os seus 1500 associados. “Nós já não estamos a ver outra via, senão a criminal”.

Dados apontam que, se for eficaz, a cobrança de rendimentos autorais e conexos ajuda a “salvar” carreiras de muitos artistas angolanos. Basta recordar que músicos como Dji Tafinha já facturaram o equivalente a 15 milhões de Kwanzas em direitos autorais pela SPA, valores que serviram para impulsionar a carreira, enquanto outros vêem-se obrigados a interromper gravações por falta de dinheiro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.