O ministro das Telecomunicações entregou a quarta licença móvel à empresa angolana Telstar. João Lourenço decidiu anular o concurso.

O PR João Lourenço anulou esta Quinta-feira, 18 de Abril, a decisão anunciada pelo seu ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação de atribuir a quarta licença de operador móvel à empresa angolana Telstar.

Desta forma, o PR desautoriza a opção tomada pelo ministro José Carvalho da Rocha, o qual fica agora com uma reduzida margem de manobra para se manter no cargo.

A Casa Civil de João Lourenço, numa nota à imprensa, considera que existiu da parte da Telstar o incumprimento dos termos das peças do procedimento, na exigência relativa ao balanço e demonstrações de resultados e declaração sobre o volume global de negócios relativos aos últimos três anos.

Na referida nota, João Lourenço adianta que deu ao ministro das Telecomunicações um prazo de 30 dias para lançar um novo concurso público.

Telstar é uma empresa constituída em 2018 com um capital social de 200 mil kwanzas (550 euros) e tem como accionistas o general Manuel João Carneiro (90%) e o empresário António Cardoso Mateus (10%).

Actualmente, Angola tem três operadoras móveis. A Unitel, que tem uma quota de 80% do mercado, a Movicel com perto de 20% e a empresa estatal Angola Telecom, cuja posição é praticamente insignificante. Em Novembro de 2018 a operadora sul-africana MTN desistiu do concurso, considerando que o mesmo estava à partida, viciado.

Leia também: Transportes públicos: sistema electrónico de bilhética em Luanda

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.