Obra do porto da Barra do Dande volta à estaca zero

0
734

No dia 28 de Junho de 2018 o presidente João Lourenço, com um suave golpe de caneta, usando das suas prerrogativas de titular do poder executivo, revogou através do seu Decreto Presidencial nº157/18, o Decreto Presidencial nº 207/17, do anterior presidente José Eduardo dos Santos, que aprovou o projecto do Porto da Barra do Dande, cuja construção foi entretanto concedida a uma empresa da sua filha Isabel dos Santos.

A razão fundamental alegada pelo actual presidente angolano para revogar o acto do seu antecessor, foi a de que o mesmo não cumpriu com os preceitos legais estabelecidos na Lei nº9/16, de 16 de Junho, a Lei dos Contratos Públicos.

Esse acto de João Lourenço passou despercebido para muita gente, porque o presidente angolano não necessitou de reunir em Conselho os seus ministros auxiliares, nem fazer alarido na comunicação social. Vox Nova Angola apercebeu-se apenas porque através do whatsapp chegou-nos uma cópia do referido Decreto Presidencial publicado no Diário da República.

Fazemos esta nota porque consideramos importante esse acto do presidente angolano. Parece-nos um sinal inequívoco de coerência e de comprometimento, não apenas com as suas promessas eleitorais de “corrigir o que está mal e melhorar o que está bem”, mas também um sinal de verticalidade de um homem que lidera uma causa, nobre e justa no pensamento da maioria dos deserdados de hoje, num país que atravessa a pior crise económica da sua breve história de capitalismo (selvagem) com independência.

Vamos tirar o chapêu sim, Senhor Presidente, em sinal de aplauso, vénia e respeito por si, antes de lhe exigirmos o braço depois de nos ter estendido a mão. É que muitos de nós têm muita pressa e querem que tudo o que seja bom para si aconteça “ontem”, não hoje nem só amanhã. Continue, Senhor Presidente, a fazer o que julgue justo, porque no final das contas, tal como reza a história, o povo anônimo julgá-lo-á mais pelo que deixou de fazer, do que pela obra bem feita. É a eterna ingratidão da política!

 

Fonte: voxnovaangola

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here