A mudança burocrática agendada tendo em conta a data prevista inicialmente para a saída do Reino Unido da União Europeia não tem impacto para os cidadãos nem no Brexit. Documentos no tradicional azul serão “os primeiros passaportes neutros em carbono do mundo”.

A data estava marcada e o sistema britânico começou a preparar-se para a saída do Reino Unido da União Europeia: depois de 29 de Março, os serviços públicos começariam a emitir passaportes sem as palavras “União Europeia” (European Union, em inglês) no topo, um passo intermédio de uma transição que culminará na emissão de passaportes azuis até ao final do ano.

Como se sabe, o “Brexit” falhou o prazo inicial. Mas nem por isso o plano caiu por terraE foi assim que, nos últimos dias, vários britânicos apanhados de surpresa  talvez parte dos que se apressaram a renovar o passaporte para manter a referência europeia  têm-se queixado nas redes sociais de terem passaportes sem “União Europeia”​, relata o Guardian.

Uma das primeiras pessoas a queixar-se nas redes sociais foi Susan Hindle Barone, que colocou no Twitter uma foto com o passaporte antigo e o novo, afirmando estar “verdadeiramente chocada”. “É o primeiro sinal tangível da nossa saída da UE”, afirmou ao jornal britânico.

O Governo tranquiliza os cidadãos: não haverá tratamento diferente para passaportes diferentes. “Ambos serão igualmente válidos para viagem.”

Numa nota explicativa no site oficial, as autoridades britânicas explicam que os passaportes com as palavras “European Union” vão continuar a ser emitidos por um curto período depois do dia 30 de Março. A transição também não será súbita quando, no final do ano, acontecer a transição final para passaportes azuis  os documentos com capa cor-de-vinho continuarão a ser atribuídos ainda no início de 2020.

O regresso aos passaportes britânicos azuis foi uma das promessas de “recuperar o controlo” depois das eleições de 2017, recorda o Guardian. Na altura, o secretário de Estado para a Imigração, Brandon Lewis, tinha afirmado que estava deliciado com o regresso ao design “icónico” azul e dourado, que tinha sido adoptado há mais de 100 anos.

Os novos (e tradicionais) passaportes azuis, que serão produzidos pela empresa Gemalto UK, serão os primeiros passaportes neutros em carbono do mundo  ou seja, amigos do ambiente.

Em ambos os passos da transição, o Governo britânico alerta: “Não será possível escolher” entre as versões.

A única garantia é que não serão emitidos passaportes com as palavras “União Europeia” depois da saída oficial do Reino Unido da UE. Neste momento, a data de saída em cima da mesa é 12 de Abril. 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.