Isabel dos Santos é a mulher que certa vez se gabou para a revista Forbes de que ela era a primeira mulher bilionária de África.

Embora os angolanos soubessem que ela devia a sua fortuna ao nepotismo e roubo do erário público, Isabel tinha uma imagem de si como uma empreendedora global astuta. Mas a sua reputação começou a desmoronar junto com seu império de negócios depois que o seu pai, José Eduardo dos Santos, deixou o cargo de presidente de Angola no ano passado.

Como presidente, José Eduardo dos Santos canalizou milhões de dólares da petrolífera estatal Sonangol para empréstimos para financiar os seus negócios. Então, antes de deixar o cargo, ele instalou Isabel como a chefe da Sonangol. O efeito foi catastrófico.

O novo presidente organizou as provas e garantiu que sua posição era suficientemente segura antes de agir.

Primeiro, Isabel foi demitida como chefe da Sonangol. Em seguida, ela foi removida, passo-a-passo, de cada um dos contratos lucrativos ou posições concedidas por seu pai. Adeus, barragem hidroeléctrica de Caculo-Cabaça. Adeus, Plano Director Metropolitano de Luanda. AdeusCorimba Coast RoadAdeus ao projeto do Porto da Atlantic VenturesAdeus, licenças monopolistas de troca de diamantes para a AscorpOdisseye e Iaxhon.

Logo será adeus à jóia de sua coroa, UNITEL e talvez sua liberdade também. Entre eles, a Sonangol e a empresa brasileira Oi (que assumiu a PT Ventures (PTV) e está a processar Isabel por USD 600 milhões de dólares de dividendos não pagos) querem sair da UNITEL.

Enquanto isso, nervos em Portugal também estão a desgastar-se. O colapso do império de Isabel terá repercussões para as principais empresas portuguesas, como a GALP e a EFACEC.

Isabel resmungou melancolicamente a amigos e colegas de trabalho que está a ser perseguida, mas a sua ameaça pública de processar o governo de Angola saiu pela culatra, transformando alguns dos aliados de seu pai e ao fortalecer a mão do presidente João Lourenço. Os altos funcionários do MPLA do Bureau Político dizem que ela estragou tudo e que o pai perdeu todo o poder que teve para puxar as cordas das asas.

Conforme relatado pela média estatal http://jornaldeangola.sapo.ao/politica/isabel_dos_santos__ignora_notificacao, em 17 de Julho, Isabel recebeu uma intimação para se apresentar para interrogatório em conexão com a investigação sobre a (má) administração da Sonangol. A intimação exigia que ela aparecesse no dia seguinte no escritório do Procurador Geral em Luanda.

Em vez disso, fontes relatam que Isabel e seu marido se retiraram para a casa de seu pai pelo resto do dia antes de correrem para o aeroporto para um voo nocturno para a Europa.
Estará ela a fugir?

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui