O drone percorreu cerca de 5 quilómetros, nos EUA, para entregar o órgão a ser transplantado.

Um rim de um doador foi entregue por um drone no hospital dos EUA onde foi realizado o transplante. É a primeira vez na história que um drone faz um transporte desta categoria.

O equipamento não tripulado é capaz de monitorar a condição do órgão e possui até mesmo um sistema de recuperação de pára-quedas, caso o drone falhe. As autoridades esperam que este pioneirismo marque o início de um novo caminho, rumo a voos mais longos.

Refira-se ainda que o rim foi doado a uma mulher de 44 anos de Baltimore que aguardava por um transplante há oito anos.

A viagem realizada, de cerca de 5 quilómetros, pode ter sido curta, mas foi necessária uma vasta gama de tecnologia para garantir que o órgão fosse entregue nas devidas condições de segurança.

O equipamento foi feito por medida e inclui câmaras e sensores de monitorização, bem como sistemas de segurança para um voo sobre uma área densamente povoada.

Matthew Scassero, que integra a equipa de engenharia da Universidade de Maryland, disse à Sky News que “há uma grande pressão sabendo que há uma pessoa à espera por aquele órgão, mas também é um privilégio especial fazer parte dessa missão fulcral”.

Em 2018, mais de 2700 rins não foram transplantados porque se degradaram antes de serem transportados. “Nós seremos capazes de salvar esses órgãos, levá-los para lá mais rapidamente e colocá-los em pacientes quando eles ainda estiverem viáveis”, acrescentou Scassero.

Joseph Scalea, professor assistente de cirurgia na Universidade de Maryland School of Medicine (UMSOM), e um dos cirurgiões que realizaram o transplante, realçou que “este é um grande passo para reinventar a forma como o sistema actual de órgãos são funciona”.

Leia também: A primeira moto voadora já existe!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.