A Apple está a ter problemas em conseguir trazer o 5G para o iPhone, conforme se sabe. São muitos os impedimentos que tem tido, em especial pela empresa que escolheu para fornecer os modems que vão trazer esta nova tecnologia.

Uma nova porta parece ter sido agora aberta, vinda de onde menos se esperava. A Huawei, uma concorrente directa da Apple, está disposta a vender os seus modems 5G, mas apenas à gigante de Cupertino.

A Huawei é conhecida por desenvolver os seus chips e os restantes componentes que necessita para os seus smartphones. Sobretudo os SoC Kirin são a prova disso, sendo reconhecidos como uma das interessantes propostas do mercado.

A Huawei tem toda a tecnologia 5G pronta

Na mesma linha, a empresa chinesa desenvolveu o Balong 5000. Este é o modem 5G que irá equipar os futuros smartphones da Huawei. Está pronto para chegar ao mercado e equipa já o seu futuro smartphone dobrável, o Mate X.

A Apple pode vir a comprar o Balong 5000

Com toda esta tecnologia disponível, a Huawei revelou estar disposta a abrir-se ao mercado e fornecer o Balong 5000. Todavia, a marca fez saber que esta não é uma abertura total. Será apenas exclusiva da Apple.

Com esta possibilidade, e caso aceite, a Apple conseguirá ter já em 2019 um iPhone 5G, algo que até agora se julgava impossível. A Intel, o fornecedor escolhido, apenas conseguirá ter os seus modems 5G prontos depois de 2020.

O mercado não consegue oferecer os modems para o iPhone

A Apple tem estado em conversações com a Samsung e a Mediatek para ter modems 5G em 2020. Há ainda a Qualcomm, mas os problemas em tribunal têm impedido que estas empresas consigam chegar a um entendimento.

Claro que esta oferta dependerá sempre da Apple, que ainda não se pronunciou. Caso aceite esta oferta, será garantidamente uma parceria de sucesso. A posição da Huawei no mercado mostra a qualidade dos seus chips e a Apple só ganharia com isso.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.