O Chefe de Estado angolano reuniu esta Quarta feira o Conselho da República, o seu órgão consultivo composto pelos Presidentes dos Partidos políticos na oposição e ouviu a Assembleia Nacional, que afirmativamente o autorizaram a decretar estado de emergência, para conter a pandemia do Covid-19, visto que já há 3 casos confirmados no país.

Dezenas de médicos e enfermeiros já começaram a abandonar os postos de trabalhos, nomeadamente no Hospital geral de Luanda.

Em declarações à imprensa, Adriano Manuel, Presidente do Sindicato dos Médicos apelo ao chefe de Estado a não atribuir a responsabilidade da pandemia do Covid-19 aos hospitais nem aos médicos, porque segundo ele «os Hospitais não têm condições, nem a própria equipa médica tem materiais de trabalho para protecção».

Coronavírus: Mais um caso confirmado em Angola

O Presidente da República, João Lourenço, no âmbito do reforço das medidas de prevenção, contenção e combate à propagação do Covid-19 em Angola, decidiu convocar o Conselho da República para uma sessão que teve lugar hoje de manhã para a auscultação dos conselheiros.

No fim do encontro, Rosa Cruz e Silva, porta-voz do Conselho da República, disse que o comunicado final do conselho decidiu o seguinte: «autoriza o Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, a declarar o estado de emergência e ampliar as medidas de prevenção».

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.