Se os EUA aprovarem um projecto de lei que impõe sanções aos países da OPEP, a Arábia Saudita poderá abandonar os pagamentos em dólares pelas vendas de petróleo. Sobre isso comenta a colunista da Sputnik Natalia Dembinskaya.

Na semana passada, a Reuters informou, citando suas fontes, que, se as autoridades sauditas cumprirem essa ameaça, a economia dos EUA entrará em colapso.

O Congresso está preparar-se para discutir o projecto de lei NOPEC (Lei de proibição de cartéis de produção e exportação de petróleo). O documento considera ilegais as decisões da OPEP, bem como quaisquer acções conjuntas de governos de outros países (excepto dos EUA) destinadas a restringir a produção de petróleo e regular os preços das matérias-primas.

Se a lei for aprovada, os tribunais dos EUA terão autoridade para considerar demandas anti-monopólio contra países membros da OPEP e outros países que concluírem acordos sobre acções conjuntas nos mercados globais de petróleo. Os americanos acreditam que essa norma reduzirá os preços da gasolina.

No entanto, muitos especialistas alertam que o NOPEC pode ter um efeito devastador e calculam que a cessação da OPEP levará a um colapso das cotações. O ministro da Energia dos Emirados Árabes Unidos, Suhail bin Mohammed al-Mazrouei, observou que, se a norma for adoptada, a indústria de xisto americana será a primeira a sofrer: a OPEP deixará de funcionar e cada um dos países aumentará a produção ao máximo, reduzindo os preços do petróleo.

O maior país produtor de petróleo, a Arábia Saudita, reagiu ao projecto de lei ameaçando substituir o dólar por outras moedas se os EUA aprovarem o projecto NOPEP.

Esse alerta não dever ser ignorado por Washington, pois, os grandes consumidores de petróleo, especialmente a China e a UE, também estão a pedir uma redução na participação da moeda americana no comércio internacional.

Entretanto, a Rússia e o Irão, que expressaram vontade de vender petróleo por euros e yuan, já estão a fazer seus primeiros negócios em moedas nacionais.

Se a Arábia Saudita, que controla um décimo da produção mundial de petróleo, se recusar a vender petróleo por dólares, a posição global do dólar será enfraquecida. Isso reduziria drasticamente a influência de Washington no comércio mundial, incluindo a eficácia das sanções económicas dos EUA contra outros países.

A Arábia Saudita sabe que tem um poderoso instrumento de pressão — o petrodólar. Afinal, de facto, a venda de petróleo saudita por dólares é o principal factor que faz dos Estados Unidos uma superpotência económica, afirmou um alto funcionário americano em entrevista à Reuters.

Os sauditas dizem aos americanos: se vocês aprovarem o NOPEC, a economia dos EUA entrará em colapso, disse outra fonte, considerando o aviso de Riad como um ultimato.

Ainda assim, as chances de que Trump assine o NOPEC, mesmo que seja aprovado pelos legisladores, são praticamente zero, segundo a colunista do artigo. Riad tenta dessa forma mostrar que não é obediente a Washington e que tem meios de pressão sobre o parceiro. Portanto, a Casa Branca terá que considerar mais os interesses dos sauditas no futuro. 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.