Angola registou na quadra festiva uma situação de segurança pública e militar estável, com mais 11 crimes face ao mesmo período do ano passado, segundo o balanço final das operações policiais durante as festividades de Natal e Ano Novo.

Os dados apresentados hoje em Luanda referem que o ligeiro aumento de 11 crimes deveu-se as desavenças entre familiares ou pessoas conhecidas, após consumo excessivo de álcool, que resultaram em agressões mútuas e violência sexual, constituindo 72% dos crimes de homicídio, violação sexual e ofensas corporais, dos quais apenas 26% foram cometidos por supostos marginais.

Segundo o director nacional do Gabinete de Comunicação Institucional e de Imprensa (GCII) do Ministério do Interior, Waldemar José, entre 20 de Dezembro de 2019 e 05 de Janeiro de 2020, chegaram ao conhecimento das forças e serviços de seguranças 2.847 crimes, dos quais resultou a detenção de 2,223 cidadãos.

Do total destes crimes, 2,050 tiveram intervenção policial. Entre 24 e 25 de Dezembro e na passagem de ano registaram-se 825 crimes, tendo a polícia intervindo em 655 incidentes e detido 723 elementos pela prática de vários crimes.

Waldemar José referiu que a província de Luanda registou menos 40 crimes em relação ao mesmo período do ano passado, seguida de Benguela (-18), Cabinda (-8) e Moxico, Lunda Sul e Bié (- 6 cada uma).

A polícia assinalou também a redução de crimes de natureza violenta, praticados com recurso a arma de fogo, destacando a apreensão no período em referência de 44 armas de fogo, das quais 37 do tipo AKM.

Relativamente aos acidentes de viação, foram registadas mais 25 ocorrências comparativamente às festividades passadas, bem como um aumento de mortos (mais sete) e de feridos (mais 50), resultado da incúria de condutores que não acataram os conselhos das autoridades policiais sobre a condução responsável e o respeito pelas normas do Código de Estrada.

Ler também: IRÃO: Vários mortos em cerimónias fúnebres de Soleimani

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.