Jean-Claude Bastos de Morais estava acusado de vários crimes, nomeadamente o de associação criminosa, de recebimento indevido de vantagem, corrupção e participação económica em negócios.

A Procuradoria-Geral da República angolana recuperou 3,3 mil milhões de dólares pertencentes ao Fundo Soberano de Angola que se encontrava sob gestão de Jean Claude de Morais Bastos e das empresas do grupo Quantum Global.

Jean Claude foi também libertado, depois de ter estado preso por cerca de 7 meses.

Ao mesmo tempo, o juiz descongelou todas as contas da Quantum Global nas Maurícias em cerca de 490 milhões de dólares. O tribunal autorizou também cinco companhias ligadas à Quantum Global a reiniciarem as suas operações.

Recorde-se que, Jean-Claude Bastos de Morais estava acusado de vários crimes, nomeadamente o de associação criminosa, de recebimento indevido de vantagem, corrupção e participação económica em negócios.

O suíço-angolano é presidente e fundador da Quantum Global, empresa que geria os activos do Fundo Soberano de Angola, do qual foi presidente José Filomeno dos Santos, nomeado, em 2012, pelo pai e exonerado do cargo, em Janeiro de 2018, pelo Presidente da República, João Lourenço. 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.