Em Luanda, a Universidade Agostinho Neto (UAN) entregou os diplomas a 2.593 novos licenciados, formados em oito das nove áreas que lecciona, com o reitor interino a apelar ao apoio da classe empresarial na criação de emprego.

Na cerimónia, Pedro Magalhães pediu às empresas para darem oportunidade de emprego aos jovens, sobretudo aos licenciados, para que possam contribuir para o desenvolvimento de Angola, reivindicando que a UAN “tem cumprido as responsabilidades” na formação de quadros.

Segundo dados da UAN, receberam diplomas 2.412 licenciados em Ciências, Engenharia, Medicina, Ciências da Saúde, Direito, Economia, Ciências Sociais e Letras, 126 especialistas nos cursos de Ciências receberam o grau de mestre e 55 bacharéis o respectivo título.

Além dos licenciados na UAN, também outros estabelecimentos universitários do Bengo (província vizinha da de Luanda), Cuanza Sul (centro Oeste de Angola), Namibe (Sul) e Zaire (Norte) entregaram os diplomas de fim de curso a 821 novos estudantes recém formados.

No Bengo, 275 recém-licenciados da Escola Superior Pedagógica local (ESPB) receberam os diplomas de fim de curso, enquanto o Instituto Superior Politécnico da província do Cuanza Sul (ISPKS) lançou no mercado de trabalho 101 especialistas.

As escolas superiores Pedagógicas e Politécnicas do Namibe entregaram diplomas a 318 licenciados e, na província do Zaire, a Escola Superior Politécnica do Zaire, em Mbanza Congo, outorgou o título a outros 125.

Terça-feira, 136 estudantes angolanos que finalizaram a formação superior em Cuba, com bolsas de estudo atribuídas pelo Governo angolano, regressaram a Angola para engrossar a lista de novos quadros superiores no país – 40 nos vários ramos de Engenharia, 28 em Medicina, 29 em Pedagogia e Psicologia, 15 em Economia e seis em Contabilidade e Finanças. 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.